quarta-feira, 14 de outubro de 2015

O Tedeísmo e a falácia da “Comunidade Científica”

 “Para a comunidade científica atual, o Design Inteligente não se estrutura pelos princípios do método científico”.

Esta frase, extraída do “vade mecum digital” dos devotos de Darwin, a Wikipédia, além de falaciosa, faz transparecer o que se conhece por “argumentum ad verecundiam”, expressão latina para designar o chamado “argumento de autoridade” ou “apelo à autoridade”.


FALÁCIA
É falácia pois se trata de uma generalização tendenciosamente enganosa, cujo intuito é passar a ideia de que há um grupo coeso de cientistas que determina o que é ciência e o que não pode ou não deve sê-lo. Ademais, ao fazer-se uso de tal expressão ignora-se que dentro desta mesma “comunidade científica” há uma boa parcela de pesquisadores de renome que simpatizam com o conceito de “Design Inteligente”, e os quais não estão presos ao dogma dominante da Academia científica atual. 

“Toda generalização é burra”, já dizia Nelson Rodrigues...

APELO À AUTORIDADE
Ao fazer-se uso desta expressão, apela-se de certa forma para o peso da autoridade, com o agravante de que se recorre não apenas a “uma pessoa”, mas a um “grupo de pessoas”, o qual, supostamente tem o poder absoluto para determinar o que deve ser aceito ou descartado do âmbito da ciência, como se esta fosse decidida por unanimidade acadêmica.

 “As grandes convivências estão a um milímetro do tédio”, já dizia o mesmo e genial Nelson Rodrigues...


É isso!

2 comentários:

  1. Eu não acredito na vida sem algo que a define e que conduz a evolução.

    Mas pesquisei aleatoriamente alguns nomes dessa lista de pesquisadores que simpatizam com o DI e encontrei alguns malucos que acreditam em coisas do tipo que os dinossauros viveram há apenas menos de 30.000 anos, na Terra Jovem, etc.. A maioria religiosos que usam o DI para justificar suas crenças.

    Nesse sentido, infelizmente, os cientistas céticos tem razão nas suas críticas.

    Gostaria de ver uma lista depurada onde apareça apenas nomes de cientistas mais "sérios".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mario...

      Não sei quais nomes você pesquisou dessa lista, porém, supondo que o mesmo cara que acredita na breve existência dos dinossauros descubra a cura para a AIDS isso não tira o mérito dele de cientista, apenas diz que ele não pode discutir Paleontologia. Resumindo: é besteira querer atrelar o status de "cientista" à crença ou descrença da pessoa. Darwin, por exemplo, era amador, não cursou universidade, não trabalhou em laboratório, nem por isso ele deixou de ser cientista. Abraços...

      Excluir